Treino de marcha no Therasuit

Treino de marcha no Therasuit

A perda ou ausência da marcha pode causar grande impacto na vida de um indivíduo e seus familiares. A aquisição da marcha seja em pessoas saudáveis ou com alguma lesão de sistema nervoso central é garantia de autonomia e liberdade. Diante da importância do andar, o processo de aprendizagem ou o reaprendizado dessa função é basicamente o foco de atenção dos programas de reabilitação.

A deambulação, ou marcha é um processo complexo e exige a integração de diversos sistemas como, por exemplo, o vestibular, o visual, o proprioceptivo dentre outros. A integração sensorial associada ao bom funcionamento do aparelho musculoesquelético gera uma sequência de movimentos repetitivos, cíclicos e alternados que caracterizam o ciclo da marcha.

Uma lesão no sistema nervoso central, como na paralisia cerebral, pode levar a produção de um movimento descoordenado ou a ausência de um movimento, uma vez que as vias que levam as informações sensoriais ao cérebro, que interpretam essas informação ou que produzem uma resposta motora poderão estar comprometidas.

Treino de marcha no Therasuit

O tratamento através do método Therasuit possibilita um treino de marcha em solo independente, com andador ou através de um suporte parcial de peso corporal na gaiola, utilizando os elásticos (spider) na esteira com o uso da veste (suit). O suporte parcial de peso corporal auxilia na estabilização do paciente durante a realização da marcha.

A utilização da veste do Therasuit promove informação sensorial e proprioceptiva e possibilita um alinhamento postural durante a marcha. Durante o treino de marcha em esteira com suporte parcial de peso corporal, o gasto energético da criança é menor e há um controle maior do terapeuta sobre a criança que se sente segura e estabilizada ao realizar os passos.

A marcha na esteira, como atividade aeróbia, melhora o condicionamento físico, a mobilidade e a força muscular. A repetição de movimentos durante a marcha na esteira, fornece ao sistema nervoso central o feedback necessário para o reconhecimento dessa ação, maximizando assim o processo de neuroplasticidade.

Recomenda-se que o treino de marcha em esteira seja realizado no mínimo 3 vezes por semana durante 15-20 minutos. A presença de deformidades ósseas e bloqueios articulares podem impedir ou retardar a aquisição da marcha.

email

Deixe seu depoimento ou comentário. Sua opinião é muito importante!