Integração Sensorial

Integração Sensorial

A Integração Sensorial é uma habilidade do Sistema Nervoso Central de processar e organizar informações trazidas do meio ambiente.

Os sistemas sensoriais são: visão, audição, tato, olfato e paladar. As informações são recebidas pelo próprio corpo através dos sistemas proprioceptivos e vestibulares, produzindo assim respostas adequadas permitindo ao individuo de usar seu corpo de maneira satisfatória no ambiente em que se vive.

Essas informações recebidas de diferentes sistemas sensorias são interpretadas, associadas, unificadas e integradas, sendo fundamentais para o aparecimento das respostas das habilidades motoras, emocional e formação de autoconhecimento e desenvolvimento global do individuo.

A Integração Sensorial na Criança

A criança desenvolve gradativamente esta capacidade de organizar as mensagens sensoriais, pois ao nascer ela experimenta sensações, mas não é capaz de dar significado a elas. Assim ela vai aos poucos dando respostas adaptativas, armazenando a percepção e o conhecimento adquirido nas experiências, para poder utilizá-la em futuras demandas.

E quando a criança apresenta alguma dificuldade em processar essas informações?

Chamamos de Distúrbio do Processo Sensorial, onde quanto a intervenção é feita precocemente conseguimos estimular de maneira mais adequada para amenizar os efeitos futuros.

Como avaliar se a criança apresenta esse tipo de distúrbio?

As dificuldades podem variar de uma criança para a outra, com relação às desordens, os sintomas que podem ser graves ou muito leves. Algumas crianças são afetadas em apenas um sistema sensorial e outras em vários. Muitas crianças apresentam distúrbios associados, como o autismo ou transtorno no déficit de atenção, algumas tem dificuldades de aprendizagens, que poderão conduzir ao fracasso escolar, outras tem movimentos globais desajeitados ou constantes dificuldades para adquirir habilidades ocupacionais nas atividades de vida diária.

A disfunção da integração sensorial esta muitas vezes associada à Paralisia Cerebral, pois geralmente o comprometimento físico destas crianças dificulta sua estimulação pelo ambiente, que não acontece com a mesma intensidade com que as outras crianças recebem. Esse tipo de limitação pode acarretar um distúrbio de percepção e que muitas vezes não orgânicos e sim pela falta de experiência.

Procure um  Terapeuta Ocupacional especializado, ele poderá avaliar e direcionar a conduta terapêutica para a melhoria da qualidade de vida.

Dicas para a estimulação sensorial em casa:

Permita que seu filho:

– brinque na areia

– caminhe descalço

– coloque-o em balanços

– brinque com brinquedos e jogos

– ouça e/ou cante músicas

– experimente alimentos com formas e gostos diferentes

email

Deixe seu depoimento ou comentário. Sua opinião é muito importante!