Disfagia

Disfagia

Nossa deglutição se inicia quando ainda estamos no útero e muitas das habilidades alimentares se desenvolvem na primeira infância.Embora pareça uma atividade simples e automática que realizamos centenas de vezes ao dia (e a noite), a deglutição requer um mecanismo sequencial e milimétrico das estruturas envolvidas nesse processo que começa de maneira consciente e se finaliza de maneira automática.

A deglutição eficiente é aquela onde ocorre o transporte do alimento da boca até o estômago sem alterações ou desvios no trajeto. Para que a deglutição aconteça, ela mobiliza o córtex, o tronco cerebral, aproximadamente trinta músculos e seis pares de nervos cranianos que dependem de níveis de atenção e cognição para executar sem transtornos a função de nos alimentar.

Disfagia

É uma alteração no trajeto do alimento da boca até o estomago ou dificuldades em se alimentar, por alterações anatômicas ou funcionais,  podendo ocorrer em qualquer fase da vida de forma abrupta ou lenta com tendência a piorar ao longo do tempo.

A Disfagia pode causar asfixia, broncoaspiração, desnutrição, desidratação, pneumonia aspirativa, alterações psicossociais e eventualmente podem levar a óbito.

Sinais da Disfagia

Pode ser observada antes, durante ou após a alimentação e alguns sinais nos possibilitam detectar que algo está errado.

Antes da alimentação: alteração e rebaixamento dos níveis de atenção e alerta, ausência, falta de dentes, má adaptação de próteses dentárias, ausência ou excesso de saliva, falta de controle de cabeça e corpo, uso de traqueostomia, recusa constante de alimentos.

Durante a alimentação: presença de tosse, engasgos, escape de alimentos pela boca e/ou nariz, dificuldade em manter os lábios fechados durante a deglutição, movimentos involuntários e repetitivos de língua e mandíbula, dificuldade de mastigação, transpiração excessiva.

Depois da alimentação: presença de restos de alimento na boca, tosse, pigarros, alterações vocais, febre (sem causa aparente), cansaço.

Ficar atento aos sinais de alterações e dificuldades alimentares e de deglutição é o caminho para prevenir complicações futuras com a saúde e garantir uma nutrição completa e eficaz.

A Clínica Intensiva oferece o acompanhamento em  fonoaudiologia especializado em Disfagia, se notar alguns dos sintomas citados acima, agende sua avaliação.

*Foto ilustrativa de uma broncoaspiração pela disfagia

email

Comments (2)

  1. sandra maria puppi salvagni - Responder

    nossa realmente , disfagia é muito dificil… tenho uma criança de 5 anos e teve atresia de esofago ao nascer, fez uso de gastro por um ano… nossa muito dificil, mas superamos isso… Hoje come quase tudo, desde que seja amassado…. mas sua mastigação ainda é comprometida… toma agua e leite normal… as vezes engasga, mas melhorou muito…Gostaria de perguntar se sua mastigação ficara sempre comprometida ? e se ele ira um dia comer qualquer alimento…?

    • Sandra existem várias técnicas para trabalhar e aprimorar a mastigação.
      Os dados informados são importantes e uma avaliação especifica é necessária para investigarmos como a musculatura facial e global está em repouso e durante a mastigação, quais são as condições e configuração dentária e respiratória da criança, quais alimentos são mais fáceis e quais mais difíceis, as variáveis que interferem na mastigação são muitas.
      Vale a pena procurar um fonoaudiólogo especialista para que ele possa te orientar quais as possibilidades terapêuticas indicadas para o seu filho.

Deixe seu depoimento ou comentário. Sua opinião é muito importante!